SINDICATO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE CAMPINAS
SÍGA-NOS
PALAVRA DA DIRETORIA
23/02/2010

Não somos os vilões!

 

            Nesta terça-feira, 09/02/010, foi novamente publicado no CORREIO POPULAR matéria sobre o afastamento dos servidores públicos.  A questão é grave, sobejamente conhecida, contudo requentaram a matéria sem atacar as causas dos afastamentos. Já virou uma campanha MALÉVOLA contra os servidores municipais que estão ficando doentes.

 

            São muitas as causas que levam os servidores a se afastarem para tratamento de sua saúde, pois não é fácil encarar as precárias condições de trabalho nos mais distintos setores da administração pública municipal. Exemplos de situações calamitosas não faltam como a Policlínica II, PA São José, as abandonadas praças municipais, administrações regionais sucateadas, unidades educacionais colocando em risco a integridade das crianças. Outros emergem, sem ser anunciadas, como a simples queda de um holofote no teatro do Centro de Convivência Cultural e placas na Biblioteca Central, cujo Secretário da pasta cobra, de forma bizarra, sindicância para apurar culpados, onde deveria cobrar mais recursos para fazer manutenção preventiva e corretiva das irregularidades.

 

            Servidores enfrentam as agruras do adoecimento e os usuários sofrem o descaso oficial. Ambos encontram-se perdidos em meio ao tiroteio da falta de insumo básico, instrumental, equipe profissional mínima e um amontoado de improvisações, sempre dentro do mesmo cenário de péssimas condições de atendimento e trabalho. E os servidores doentes são os vilões?! Enquanto os servidores praticam malabarismos, por parte do governo sobram as mais distintas desculpas.

 

            Desculpas e culpas surgem de diferentes colorações, ao sabor das conveniências da administração municipal. Insistir em culpar os servidores permeia considerações dos interessados em mascarar as causas e fugir de responsabilidades. Se os trabalhadores cruzam os braços por melhores condições de trabalho são insensíveis. Reivindicar, com justiça e determinação,   adequadas condições de trabalho, passou a ser crime.

 

            Crime é a postura nem sempre escrupulosa que prevalece nas relações contratuais e o maior exemplo disso é a famigerada co-gestão do Hospital Ouro Verde cujo relatório do Ministério Público Federal, após denúncia de ação popular, encontrou mais de trinta e sete indícios de fraudes. A transparência da gestão do Ouro Verde não é direito da administração, mas obrigação e faz parte dos princípios fundamentais da administração pública.

 

            As soluções para diminuir o índice de afastamento dos servidores são amplamente conhecidas, porque a responsabilidade de oferecer um local de trabalho seguro e saudável é do governante, contudo, ele é omisso e nada faz, transformando as verdadeiras VÍTIMAS do descaso em VILÕES.

 

 

 

Marionaldo Fernandes Maciel

Coordenador do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Campinas

guaranteed personal loans
guaranteed personal loans

fotos
Festa Junina, 13 de Junho.
SÍGA-NOS
ENDEREÇO: Rua Joaquim Novaes, n°97 - Cambuí - Campinas - SP FONE: (19) 3236-0665